História do Grupo

A Cia de Teatro Encena foi criada em outubro de 1999, na cidade de João Pessoa – Paraíba. Sua fundação se relaciona com a montagem do espetáculo para crianças “As Aventuras de Peter Pan”, baseada na obra de J. M. Barry, o espetáculo contou com o diretor Ednaldo do Egypto (in memória 1935-2002) e os atores e atrizes: Alexandre César, Celly de Freitas, Evaldo de Sousa e Socorro Ferreira.

Inicialmente, as pesquisas e trabalhos da companhia se voltaram para o universo do teatro para crianças/infantojuvenil. Dessa forma, espetáculos como “Quem tem medo do Lobo Mal?”; “O Reino do Chocolate”; “Contadores de História”; “Infância Levada”; surgiram a partir adaptações e releituras de obras literárias. Esse período pode ser considerado como uma primeira etapa, uma primeira fase do nosso grupo.

Com o tempo, a Cia Encena cresceu e ampliou um pouco mais seu horizonte. Investiu nas pesquisas autorais de seus integrantes, agregando às suas investigações, poesia como um lugar para pensar as dramaturgias (textual, corporal, vocal, da/do atriz/ator) de uma cena, que joga com uma perspectiva do “entre”. Entre linguagens artísticas, entre gêneros literários. Nessa segunda fase/etapa, o grupo produziu espetáculos voltados para o público infantojuvenil: “Bulir ou não Bulir?”; “Festa de Contos”. Como também espetáculos para o público adulto: “Sentir: Poesia Em Cena”; “Fuzuê”. Participou de eventos e festivais de ordem Nacional e Internacional, como o Festival Internacional de Teatro e Artes para a Infância – FITIJ em 2016.

Atualmente, a Cia de Teatro Encena inicia uma nova etapa em seus 20 anos de história, mais uma vez na busca por reconhecer seu jeito de produzir teatro, o grupo passa por mais um momento de transformação. Momento esse que é pontuado por nossa última produção “Toda Coisa Tem Três lados”, que teve sua estreia em 2020 trazendo o riso e a reflexão para a cena. No jogo teatral surgem brincadeiras e crítica reflexiva, que interligam os textos do Karl Valentin (1882-1948), músicas populares e brincadeiras que remetem a infância. Um espetáculo que atende aos mais jovens, aos adultos, um convite aberto a todas as idades, pois foi costurado com o fio da reminiscência. A linha de pesquisa cênica baseou-se na memória, em elementos brechtianos e numa trajetória que evidencia o desnudamento de seus elementos cênicos.